quarta-feira, 28 de maio de 2014

Resenha - A intimação (John Grisham)

Editora: Rocco
Ano: 2002
Páginas: 283

Sinopse:

Um grande mistério conduz a história de Ray Atlee, um advogado da Virgínia que atende a uma solicitação do juiz Reuben, seu pai. O velho juiz está doente e sabe que o fim se aproxima. Durante quarenta anos ele exerceu um razoável poder político na pequena cidade de Clanton, no Mississípi, mas depois de perder uma eleição para um candidato mais jovem passou a experimentar o ostracismo. De Maple Run, a mansão decadente onde vive, ele convoca os dois filhos para uma reunião, para discutir a administração de seus bens.

Forrest, o filho mais novo, tem 36 anos e ostenta o título de ovelha negra da família. Usou todo tipo de droga e mora no Menphis. Ray chega primeiro a Maple Run e encontra o pai morto no sofá, ao lado de um pacote de morfina. Sobre a escrivaninha, um testamento o coloca como inventariante na divisão dos parcos bens. Mas uma porta aberta do armário revela ao advogado uma fortuna em espécie, acondicionada em caixas de papel de carta. Ele esconde o achado de todos, inclusive do irmão, e tente descobrir a origem do dinheiro, pois o pai ganhava apenas 52 mil dólares por ano de pensão, e doava quase tudo à caridade.

Opinião:

Terceiro livro que leio desse autor e posso considerá-lo o mais fraco. A trama até segue de uma forma coesa, mas o final é vazio. A sinopse nos faz achar que uma grande coisa fez com que o pai do personagem principal tivesse milhões de dólares guardados em casa, mas fica um pouco obscura a resolução do mistério.

A maneira como John Grisham mostra os bastidores do mundo jurídico continua sendo o ponto forte de seus livros, mas nessa obra o trabalho ficou abaixo da expectativa.

Os personagens não empolgam e isso tira o embalo do livro. Quando se imagina que o final pode salvar, eis que surge uma indefinição ou falta de clareza.


Nenhum comentário:

Postar um comentário